sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Firenze parte II

    Bom, como disse no primeiro post da série, ficamos no Centro Histórico de Florença que abriga os pontos turísticos da cidade. Andamos que nem vimos o tempo passar e agora está na hora de escolher um lugar charmosinho para comer alguma coisa... A Luziane me indicou um restaurante, que ela adorou quando esteve aqui, mas não consegui encontrá-lo. Pelo sim pelo não, resolvi ir pela indicação do guia. Por falar nisso, como comem bem esses italianos! Mamma Mia! A gente tem que se segurar para não voltar rolando prá casa... Ninguém merece! Mas como não é todo dia que se vai à Itália, deixe a dieta de lado e experimente TUDINHO! Afinal de contas, você merece! Fomos a um restaurante chamado Buca Mário, que o guia indicava. Comi a melhor brusqueta da minha existência inteira...

O mais mais surreal é que ela não tinha nada de mais... O tomate estava cru, temperado com manjericão e alho, e o pão estava muito quente e super crocante, sobre um azeite incrivelmente gostoso temperado com pimenta e especiarias... Nem queijo tinha e estava simplesmente delicioso.
E olha que isso foi só a entrada...
A combinação dos ingredientes tem um sabor acolhedor. Por incrível que pareça é difícil escolher o prato principal, quando tudo parece bom... Mas como estamos na Itália fui de pasta e o Gustavo escolheu uma carne... A gente divide, porque aqui as porções são prá lá de generosas e ambos comemos dos dois pratos! Prego!!!!

Vou precisar dormir sentada hoje, porque se eu deitar, acho que corre o risco de ter refluxo... Minha gente, o que era aquela comida???? O prato típico da Toscana é a vitela, mas como o pessoal da outra mesa tinha pedido e ela era imennnnnsa, resolvemos pedir o rosbife com crosta de alho. HHummm!!! 

Como se não bastasse ainda pedi um gelatinho básico...




Já que a gente vai morrer mesmo, é melhor aproveitar porque ninguém merece morrer sem tomar um gelato italiano, e como a única certeza que se tem é que a morte é certa, vamos aproveitar! Estava tudo delícia, irretocável. Quando voltar ao Brasil penso na dieta!






Depois dessa farra gastronômica, regada a vinho nacional, um Valpoliccela bola, fomos caminhar antes que o sono batesse... Ainda mais com esse friozinho de 8 graus!



Florença emergiu na Idade das Trevas como cidade-estado independente e logo prosperou, impulsionada pela indústria têxtil e pelos bancos. Todo mundo já deve ter ouvido falar na família Médici, poderosa família de banqueiros que dominava a cidade em função de sua fortuna. 











Aqui estou eu na Igreja de San Lorenzo, que é a igreja mais antiga de Florença e durante muito tempo foi sua Catedral. Estão enterrados aqui Donatello, Cosme de Medici, entre outros túmulos desta família. A Igreja tem obras de arte e parte de sua arquitetura tem a assinatura de ninguém menos que Michelângelo. Pena que não se pode tirar fotos daqui...
Aqui, uma foto "do" Ponte Vechio que é sem dúvida um cartão postal de Florença! 



3 comentários:

  1. Que saudade! Adorei o texto e gostei demais do blog! Visita o meu?

    ResponderExcluir
  2. Isso é que é vida hein, Pri? Trabalha mais não fia? Inveeeeja!!!

    ResponderExcluir